X

Leptospirose

A maior parte dos casos ocorre atravs do contato com guas contaminadas pela urina de ratos.

A leptospirose uma doena infecciosa aguda causada pela bactria Leptospira interrogans, transmitida pela urina de ratos. Os surtos ocorrem, principalmente, na poca de enchentes, quando a bactria penetra no organismo atravs de pequenos ferimentos ou pelas mucosas do nariz ou da boca, provocando insuficincia renal e heptica. O Brasil apresentou 4.128 casos da doena em 2000, a maior parte deles no Estado de So Paulo, segundo dados divulgados pela Fundao Nacional de Sade (Funasa). No existe vacina para a enfermidade. Sua forma grave pode provocar ictercia, meningite e levar morte.

A molstia afeta especialmente os animais, como roedores e outros mamferos silvestres. Os animais domsticos, como ces, gatos, bois e cavalos, tambm podem ser atingidos. Esses bichos, mesmo quando vacinados, podem tornar-se portadores assintomticos da bactria e elimin-la junto com a urina, s vezes por toda a vida. O rato de esgoto (Rattus novergicus) o principal responsvel pela infeco humana. A bactria eliminada por ele penetra atravs da pele e das mucosas (olhos, nariz, boca) ou por meio da ingesto de gua e alimentos contaminados. A presena de pequenos ferimentos na pele facilita essa penetrao. O ser humano no considerado um transmissor da doena, a contaminao de uma pessoa para outra muito pouco provvel.

No Brasil, a maior parte dos casos ocorre atravs do contato com guas contaminadas pela urina de ratos. A rede de esgoto precria, a falta de drenagem de guas pluviais, a coleta de lixo inadequada e as conseqentes inundaes so condies favorveis para o aparecimento de epidemias. Assim, a doena atinge em maior nmero pessoas de baixo nvel scio-econmico, que vivem nas periferias das grandes cidades. Outra causa freqente de aquisio da molstia a falta de proteo adequada durante a limpeza de fossas domiciliares. Aconselha-se evitar o contato desnecessrio com a gua e com a lama durante as inundaes.

Os sintomas da leptospirose aparecem entre dois e trinta dias aps a infeco, sendo o perodo de incubao mdio de dez dias. Febre alta, sensao de mal estar, dor de cabea constante e acentuada, dor muscular intensa, cansao e calafrios esto entre as manifestaes da doena. Tambm so freqentes dores abdominais, nuseas, vmitos e diarria, podendo levar desidratao. comum que os olhos fiquem acentuadamente avermelhados. Alguns doentes podem apresentar tosse e faringite. Em alguns pacientes os sintomas podem ressurgir aps dois ou trs dias de aparente melhora. Nesse perodo, comum aparecer manchas avermelhadas pelo corpo e pode ocorrer meningite.

A partir do terceiro dia de doena pode surgir ictercia (olhos amarelados) nos enfermos que apresentam casos mais graves (cerca de 10%). Nesse grupo, aparecem manifestaes hemorrgicas (equimoses, sangramentos em nariz, gengivas e pulmes) e o funcionamento inadequado dos rins, o que causa diminuio do volume urinrio e, s vezes, anria total (supresso da urina) . A evoluo para a morte pode ocorrer em cerca de 10% das formas graves.

O tratamento de pessoas com leptospirose feito principalmente com hidratao. No devem ser utilizados medicamentes para dor ou para febre que contenham cido acetil-saliclico, que podem aumentar o risco de sangramentos. Os antiinflamatrios tambm devem ser evitados. Quando o diagnstico feito at o quarto dia de doena, devem ser empregados antibiticos, que reduzem as chances de evoluo para a forma grave. As pessoas com leptospirose sem ictercia podem ser tratadas no domiclio. As que desenvolvem meningite ou ictercia devem ser internadas.

As pessoas se sentem solitrias pois constroem muros no lugar de pontes.

mais frases

Powered by Genesis Digital